salve.seus.dados@gmail.com

Mês: janeiro 2020

Saiu na mídia – Por que empresas como Amazon e Google estão interessadas em comprar o Serpro e a Dataprev?

Em entrevista para o site Brasil de Fato, Sheyla Lima, que preside o Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados, Informática e Tecnologia da Informação do Estado de Pernambuco, falou sobre o desmonte que atualmente ocorre no Serpro e na Dataprev, estatais estratégicas para o Estado brasileiro e que estão sendo preparadas para venda. Além de defender as empresas das acusações feitas pelo governo, ela explicou o porquê de gigantes da tecnologia como Amazon Google estarem interessadas em adquirir essas estatais.

Compartilhe:

Saiu na mídia – Decreto formaliza intenção de privatização da Dataprev; entenda importância do órgão

O site Tudo Celular fez postagem na qual trata da privatização da Dataprev, mencionando – em particular – a inclusão da empresa no Programa Nacional de Desestatização. Ao abordar o assunto, o portal toca em um dos pontos focais da campanha contra a venda da estatal: a tendência de que os dados guardados pela empresa, ao serem armazenados por companhias privadas, passem a ser capitalizados; ou seja, explorados visando o lucro.

Compartilhe:

Saiu na mídia – ‘Soberania digital em risco’, diz Carlos Veras sobre privatização da Dataprev

A Folha de Pernambuco noticiou a inclusão da Dataprev no Programa Nacional de Desestatização. Na matéria, o jornal mencionou o posicionamento do Deputado Federal eleito pelo estado, Carlos Veras, que foi ao Twitter expressar o seu repúdio à tentativa por parte do governo federal de vender a empresa.

Compartilhe:

Pentágono usa sua própria estatal para guardar seus dados, diferente do afirmado pelo governo

Em matéria publicada no site Convergência Digital, diversos membros do governo federal tentaram dar justificativas para o injustificável: a venda de Dataprev e Serpro, as duas estatais que sustentam grande parte dos sistemas da administração federal e armazenam uma igualmente considerável gama de informações críticas dos cidadãos brasileiros. Ao tentar mostrar para a população que a privatização dessas empresas não trará problemas para o país, os secretários recorreram à distorção dos fatos para que estes se alinhem a seus objetivos; nada mais natural quando argumentos verdadeiros são escassos.

Compartilhe:

Saiu na mídia – Redução no quadro da Dataprev aumentará a fila de aposentados, explica advogado

A rádio CBN Recife entrevistou o advogado especialista em direito previdenciário, Rômulo Saraiva, que opinou que o recente enxugamento de funcionários no INSS e a demissão de empregados da Dataprev são ações que vão na contramão de resolver o grande problema que afeta o Instituto Nacional do Seguro Social atualmente: as filas que surgiram como consequência da reforma da previdência. Dentre os tópicos abordados, Rômulo questiona a contratação de militares e terceirizados para realizar uma tarefa que seria melhor desempenhada por técnicos com conhecimento sobre a complexa legislação da área; profissionais esses que estão sendo demitidos pela Dataprev.

Compartilhe:

Saiu na mídia – Dataprev anuncia demissões e bloqueia acesso aos sistemas da previdência

O portal Brasil 247 repercutiu a decisão tomada pela diretoria da Dataprev, que busca fechar 20 unidades regionais da empresa e demitir os 493 funcionários que trabalham nelas. A notícia destaca que além de executar esses desligamentos, os dirigentes da estatal – em um momento onde as filas do INSS chegam a níveis críticos – também bloquearam o acesso destes empregados a sistemas da previdência, simplesmente impedindo-os de desempenhar o seu trabalho e, consequentemente, agindo contra a dignidade tanto de parte do corpo funcional da Dataprev quanto da população brasileira.

Compartilhe:

Saiu na mídia – Água suja: desmonte às claras

O Correio da Manhã postou notícia na qual relaciona os problemas com a distribuição de água que os habitantes do Rio de Janeiro têm enfrentado com o desmonte promovido na CEDAE, empresa que está nos planos de privatização do governo estadual. De certa forma, esta é uma relação de causa e efeito semelhante à observada atualmente no INSS e na Dataprev, instituições que enfrentam o desafio de atualizar dezenas de sistemas para que estes se adéquem à reforma da previdência mas que, ao mesmo tempo, são enxugados ou têm seus funcionários demitidos pela administração pública federal.

Compartilhe:

Saiu na mídia – Se na Europa ainda não há 100% de garantia de proteção de dados pessoais, imaginem o Brasil?

Em publicação recente, Luiz Queiroz, jornalista que mantém o site Capital Digital, ilustra parte da vulnerabilidade existente na Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, que é utilizada pelo governo como um dos alicerces que supostamente permitirão que Dataprev e Serpro sejam privatizados com segurança. Para isto, o jornalista recorre a uma pesquisa que analisou o nível de conformidade aferido em empresas europeias em relação às normas de proteção de dados do continente, que é baixo.

Compartilhe:

Saiu na mídia – Salim Mattar comemora demissões na Dataprev

O site Capital Digital deu repercussão a uma série de tweets feitos por Salim Mattar, Secretário Especial de Desestatização do Ministério da Economia, na qual ele celebra as demissões que ocorrerão na Dataprev. O processo, que culminará com 493 empregados – e, por conseguinte, famílias brasileiras – perdendo boa parte de seu sustento, foi visto pelo empresário como positivo, pois fará com que a empresa fique mais atrativa para o processo de privatização.

Compartilhe:

Saiu na mídia – Começa o desmonte das unidades regionais da Dataprev

O site Capital Digital, que cobre os bastidores da Tecnologia da Informação no governo federal, noticiou a extinção de 20 unidades regionais da Dataprev e a subsequente redução do quadro da empresa em 14%. Segundo o jornalista Luiz Queiroz, o processo faz parte do desmonte da estatal – premiada, estratégica, e superavitária – para que ela fique mais atrativa para eventuais compradores, e comprova os verdadeiros interesses da diretoria atual, que objetiva única e exclusivamente vender uma empresa que há mais de 40 anos presta bons serviços aos brasileiros.

Compartilhe: